sábado, novembro 18, 2006

olé...


O governo considera que a acusação de desorçamentação apontada pelo Tribunal de Contas não representa a instituição, mas sim a opinião do juiz conselheiro responsável por aquele relatório, apesar do documento referir a sua aprovação pelos juízes conselheiros da 2.ª secção daquele tribunal. Claro que a intenção do governo é diminuir o impacto negativo de tal notícia.

Ao mesmo tempo, o governo, pela mão do seu ministro das Finanças, deu em esconder um estudo comparativo dos salários no Estado e do sector privado encomendado por si, e pago com os dinheiros do Estado, só porque o dito relatório, ao contrário do que o ministro desejava, veio confirmar que os salários do sector privado são em média superiores aos da Função Pública. Questionado, o ministro diz que procedeu assim porque o tal estudo lhe mereceu críticas metodológicas.

Razão tem o ministro das Obras Públicas que encomendou o tal estudo das Scuts, a uma empresa de um seu assessor. Assim o “estudo” vem com as roupagens da dança que o ministro orquestra e não traz quaisquer dissabores ao governo.

E assim vai a Democracia, olé.

6 Comments:

Anonymous El Capitán said...

É. E agora há mais um, mandado fazer pelo Chefe Costa dos Bombeiros.
Também deve ser um belo estudo, feito por quem sabe tanto de incêndios florestais como um esquimó.
Não é preciso mais nada, cada vez os incêndios são menores porque as áreas florestais cada vez também são mais pequenas.
Foguinhos mais pequenos, é o que se vê e mesmo esses, não se apagam no prazo previsto.
Se assim fosse lá se ia o protagonismo.

11:51 PM  
Blogger Kane said...

No caso das Scuts, foi o 2 em 1!
1 para as roupagens que vestem o estudo realizado pela F9;
2 para a esperteza: num dia foi criada a F9, no dia seguinte, a empresa assinava contrato chorudo para o estudo, mercê do convite que lhe foi “ dirigido ".
( Não há mercado que aguente, nem mesmo o da Ribeira...)

6:39 PM  
Anonymous Anônimo said...

Parece-me que os rapazes andam a brincar!
E já começa é a cheirar mal....
Não é tolerável que se desacredite o Tribunal que fiscaliza as contas e actividades financeiras do Estado.

O País precisa de dirigentes sérios e com noção de Estado: isto é que as leis servem os cidadãos e devem ser respeitadas.
E no que aos governantes diz respeito elas são dogmas!
Mas claro está ...a velocodade com que se fazem e alteram leis não permite que os ditos se apercebam de que estão a lidar não com peças de comércio mas sim com os mais altos valores da sociedade.

12:59 AM  
Anonymous Anônimo said...

A final parece que o estudo dos fogos conclui com o que o Governo já sabia...
Pudera os técnicos que sabem onde é que estão? Claro...no Estado!!!

Mas agora o que está a dar são os estudos das Consultoras.
Brevemente e dada a saída dos FP ( funcionários públicos )para os excedentes estão elas a serem admitidas no quadro permanente - é que para elas não há deficits.

O mal dos FP é que nem sequer têm computadores para fazerem os seus Powerpoints ...por isso ...rua!!! que não prestam....

1:14 AM  
Anonymous Anônimo said...

Nesta coisa de consultoras...há empresas com a chamada sorte do macaco...no dia seguinte à sua constituição têm logo clientes....e que clientes!!!!cheios de capital...! e com estudos que até condicionam metade do POVO scuteiro!
Eu não sei como se faz!!!! por isso ... vou para muleiro!

1:18 AM  
Anonymous Anônimo said...

Diz a velhinha :

" e se adoecer vou para onde?...?"

Coitada, não percebe mesmo nada de economia da saúde no âmbito da geopolítica nacional.

5:54 PM  

Postar um comentário

<< Home