sexta-feira, julho 07, 2006

El Gobierno aprueba la reforma de la Función Pública

Rodríguez Zapatero y Jordi Sevilla y los representantes sindicales el día de la firma del Estatuto.
El Consejo de Ministros ha aprobado hoy el proyecto de ley del Estatuto Básico del Empleado Público, así como el de Contratos del Sector Público, dos propuestas legislativas que afectarán a 2,5 millones de funcionarios y empleados públicos de toda España y que tienen como objetivo aumentar el nivel salarial de los funcionarios e incentivar su trabajo, así como reducir el nivel de temporalidad en las Administraciones.
El nuevo Estatuto, que cuenta con el apoyo de los sindicatos UGT, CCOO y CSI-CSIF, fija unas normas y derechos básicos para todos los empleados públicos, como el derecho a la negociación colectiva, una nueva estructura retributiva (ligada a la productividad y los rendimientos), nuevos modelos de promoción profesional, mejora las normas de acceso y la formación, e incluye medidas para reducir la temporalidad. (El Pais 07.06.06)

7 Comments:

Blogger luikki said...

que semelhanças com o que se passa no ectângulo...

10:20 PM  
Anonymous José said...

Até fico mal disposto ao ler isto ...que se passa aqui ao lado em Espanha.

É tudo uma questão de superfície.
Em Espanha vêm-se as coisas como positivas. O novo regime da função publica visa o reforço da posição do funcionário público nas várias áreas e em especial na formação profissional, estatuto salarial e desempenho profissional, seguramento com garantia de melhor competitividade, face à satisfação profissional dos trabalhadores.

Em Portugal....a área de superfície não permite que o Governo faça mais do que considerando que há funcionários a mais.....que tudo está mal por causa dos funcionários,...que são uns preguiçosos...que não trabalham....então vai de baixar os ordenados...correr com eles para os quadros de excedentários ( o vexame personalizado...)diminuindo e desincentivando os profissionais....dando a sensação de que o País se está de rastos bem o deve aos profissionais.

É lamentável e....é pena porque sendo todos socialistas....não se percebe por que cartihas terão lido !?

De qualquer modo o Governo Português bem poderia ir até Madrid aprender alguma coisa...

Voltaremos ao assunto!....

12:09 AM  
Anonymous José said...

Só não compreendo que Zapatero tenha tido tanta dificuldade em estar , ( e não esteve )na Missa com S.S. O Papa

O ateismo do Sr. Zapatero não deve a meu ver....atentar contra princípios tão caros como a família.- "Casamentos" homosexuais-
Esperemos que aqui Portugal não vá atrás, ou então chamem-lhe outra coisa qualquer , porque esta instituição - casamento -já é muito antiga e bem caracterizada há séculos...

12:17 AM  
Blogger luikki said...

peço desculpa por abusar do espaço mas o "josé" merece uma resposta.

"Esperemos que aqui Portugal não vá atrás, ou então chamem-lhe outra coisa qualquer , porque esta instituição - casamento -já é muito antiga e bem caracterizada há séculos..."

josé, querido:
deixa cada um viver e casar como quiser!

11:16 AM  
Anonymous José said...

A final podemos ficar todos mais descansados...é que sobre a revisão do regime de reformas disse o assessor de imprensa do Sr. Ministro que tanto o Sr. Ministro como o Sr. Secretário de Estado já afirmaram por várias vezes que serão excepcionadas ao regime do cálcul que tem em consideração a esperança de vida as situações de contribuição muito longas, como por exemplo as pessoas que começaram a trabalhar ao dez....quinze anos...

Então isto não dá para ficar aparvalhado ? Não tarda ainda vão buscar os que começaram a trabalhar aos cinco e... se calhar até antes de nascerem....

Eu gostava de saber era o que pensa o Governo fazer ( pensa....? ) quando depois de pôr toda a gente a passar fome verificar que ainda não resolveu o problema da economia no País e já não há mais nada para descontar nem para tirar ao pessoal

Diga-se em abono da verdade que não deve preocupar-se muito com isso porque nessa altura também já não existirá...ou existirá ainda ?!....

11:58 AM  
Anonymous Pestana said...

A questão a saber é quem tem razão, o do lado de cá ou o do lado de lá. Ou melhor, os que parecem pensar que um País é o que forem as suas gentes, os seus funcionários (incluindo os da saude), professores, estudantes, juizes, militares e polícias ou os que pensam ao contrário, aquela gente, mais os velhos e as crianças,são uns inúteis, uma cambada, sem eles tudo seria uma maravilha, só quadros partidários, ministros, Presidentes da República, empresáriosa espanhoies e americanos.

7:30 PM  
Blogger Kane said...

É possível chegar a entendimento quando há boa fé e transparência de todos os parceiros sociais. Para premiar o mérito e o esforço, para punir o desleixo e a incompetência. Mas não só, como se percebe pelo post…
Mesmo não conhecendo a realidade de nuestros hermanos, tiro-lhes o chapéu!

10:56 PM  

Postar um comentário

<< Home