segunda-feira, julho 13, 2015

Tsipras falhou



Tsypras falhou. Ao abdicar desde o início das negociações do seu melhor argumento que seria admitir uma eventual saída da Grécia do euro tornou as ultimas “negociações” mais difíceis para si. Seguros de que jamais Tsipras admitia uma saída do euro os agiotas credores deram-se até ao luxo de lhe proporem uma saída “negociada”.
Tsypras deveria compreender que esgotadas todas as cedências razoáveis, para além das quais já não faz qualquer sentido falar-se de uma alternativa à austeridade, que constituiu a base das suas promessas eleitorais e uma estratégia que foi sufragadas pelo povo grego no referendo da semana passada, só um caminho lhe restava, a saída do euro.
Se não é possível um caminho alternativo à austeridade dentro do euro então não resta outro caminho aos partidos de esquerda, aos povos dos países sufocados e aprisionados no euro, do que procurar outra via fora do euro por mais custos iniciais que tal possa acarretar.
Aceitar a austeridade sem fim, aceitar os ditames da ditadura financeira, aceitar o futuro sombrio do empobrecimento e do agravamento das desigualdades sociais, aceitar a capitulação de todos os seus ideais é miserável, totalmente desonroso e constitui uma deslealdade para com seu povo.