sexta-feira, novembro 09, 2012

O modelo neoliberal de sociedade

Um dos objectivos do governo de Passos Coelho e desde o início do seu mandato (recorde-se as tentativas da revisão da Constituição então ensaiadas) consiste em reduzir as funções sociais do Estado, reduzir a acção do Estado na Educação Pública, na Saúde Pública e na Segurança Social. A forma para concretizar tal ideário passa naturalmente por reduzir as verbas orçamentais para estas acções do Estado. Chama-lhe “refundação” e quantifica em três milhões e quinhentos mil euros, o corte orçamental proposto.
Passos Coelho tem razão quando fala em “refundação”. Na verdade, as profundas alterações que se procuram não são meramente conjunturais, temporárias, exigidas pela grave situação económica e financeira do país (na óptica neoliberal), mas alterações estruturais, isto é, que se perpetuarão para além dos próximos anos. É a concretização da visão neoliberal do estado mínimo. A Neodireita tem consciência de que o Estado de bem-estar social e as suas políticas sociais, não são apenas uma “administração”, mas um modelo civilizacional. As narrativas da Neodireita, estão assim voltadas para demolir tal modelo e substituí-lo por outro.
Trata-se de um projecto de reforma ideológica, económico e social. O que se pretende com esta “refundação”, não é mais do que a procura por parte de uma elite financeira e política de uma nova redistribuição dos rendimentos, mais desigual e que os favoreça. Uma outra repartição dos rendimentos em que a redução das funções sociais do estado se torne permanente e consolidada. Porque, ao reduziram-se e encarecerem-se as funções sociais do estado, outra coisa não será do que retirar rendimentos à população ou, o que é o mesmo, reduzir indirectamente os seus salários.
É o empobrecimento generalizado da população, assunto ultimamente tão propagandeado nos órgãos de comunicação social por todas as “boas almas” que nunca conheceram sacrifícios ou dificuldades económicas.
É um projecto que deve ser aplicado o mais rápido possível, de uma só vez, “custe o que custar”, de forma anticonstitucional se necessário. As recentes palavras de Victor Gaspar são elucidativas, “mesmo que as previsões do orçamento para 2013 não derem certo, os objectivos propostos manter-se-ão inalteráveis e seguirão em frente”. Pouco importa o “destroçar” económico e social do país, o que realmente importa ao governo é a implantação pratica deste novo modelo de sociedade.
E, em anos futuros, os eventuais rendimentos obtidos por ganhos de produtividade ou crescimento económico, nas novas condições neoliberais de repartição da riqueza no país, serão absorvidos pelos mais ricos, pela elite política e financeira, pelos oligarcas e nunca pela esmagadora maioria da população. Nestas condições, torna-se uma falácia o discurso propagandeado pelos defensores do neoliberalismo “é preciso criar riqueza para que possa ser distribuída ”. Os trabalhadores e a generalidade da população poderão ter a certeza que o quinhão que lhe restará por todo o acréscimo de riqueza produzida será sempre irrisório. A divisão de rendimentos entre o capital e o trabalho tornar-se-á mais desigual, num retrocesso social impensável, e velhos conceitos como “a exploração dos trabalhadores” estarão de novo presentes com oportunidade e perfeita justificação.

10 Comments:

Blogger Rui Braga said...

Deixa-me assinar por baixo.

2:56 PM  
Blogger Pata Negra said...

Concordo em absoluto.
Um abraço anti-capitalista

6:11 PM  
Anonymous Anônimo said...

Absolutamente de acordo...como sempre..!

3:01 PM  
Anonymous Anônimo said...

O Estado neo-liberal na óptica passista vai ficar tão pequenino...tão pequenino...que acaba por desaparecer...

3:02 PM  
Anonymous Anônimo said...

E então fica como antigamente ...o Senhor lá no alto no seu Castelo...de trompa e marreta...com armadura e cota de malha...só com uma porta para os torneios...e cá por fora a maralha..meia desdentada...e piolhosa... agarrada a algum osso de cão que distraidamente se tenha deixado apanhar...na ronda dos caixotes do lixo....

3:09 PM  
Anonymous Anônimo said...

Caro Blogger ouviu por aí umas declarações duma senhora de Monet...ou cousa parecida????...

Ainda não passou o espírito da esmolinha...pró desgraçadinho...rôto...e descalço...só com problemas de contas por pagar ....e de estômago a dar horas...sempre grato e obediente....Oh!! mas cá estamos nós com as esmolinhas da caridade...sempre prontos a ensinar que ..não se pode comer bifes todos os dias...credo..!!! que até faz mal ao colestrol...e provoca insónias...

...aliás só os pacóvios ou trabalhadores de má estirpe é que hoje em dia comem bife...

Concerte-se jovem e tenha maneiras....que não se molha no prato com o pão...

Bom esta gaijada tem uma certa razão...se não fossem os pobres o que é os humanitários iam fazer...?? ficavam desempregados...nam era...??


...e...olhe menino ...nã'esquêêssa quê ...nã póde lavar com corrente...que horrôre...até pode vi´de alguma lagarticha hô..rrô...rosa da toneira...que hôrrô...re..??!

3:28 PM  
Anonymous Anônimo said...

Tenho estado a ver a Conferência de Imprensa Passos/ Merkel.....


...e é bonito de ver ...!!!...o menino ..aluno bem comportado...alinhado e bem penteadinho...recitando a lição...e...a dizer...professora como vê...eu serei um bom quadro no futuro...lá numa qualquer usina alemã...não se esqueça de mim...!!!

4:09 PM  
Anonymous Anônimo said...


Já de algum tempo ...mas agora com mais intensidade....dá gosto ouvir alguns dos habituais passarões a apregoar que....afinal ....já que o dinheirito do Estado escasseia.... não se pode dar tudo a todos.....


...e cá por baixo...a malta tesa pensa ...lá isso é verdade ...quem tem não deve tirar aos outros....

.....só que não vê que o tudo se refere ao que é dado aos tesos....porque os passarões...esses... continuarão a assobiar...lá do alto do galho....

1:42 PM  
Anonymous Anônimo said...

E esta modernice de achar que o Estado deve ser gerido como uma Empresa....!!!????

Bahhnn!!!!e a empresa o que faz quando a coisa corre pró torto...???deslocaliza...??? ou mete o que resta...às vezes não pouco ....no bolso do accionista e o que sobra ..em geral trabalhadores ....vai para a falência...???...ou pura e simplesmente muda de nome ...ou muda de residencia e abre porta ao lado...agora sim de cara lavada com novos trabalhadores...novos credores ...e novos BM's pró fim de semana...???

Será que se acha que o Estado deve fazer a mesma coisa...???

Vontade não falta..!!!

1:48 PM  
Anonymous Anônimo said...


Li ainda hoje num jornal a declaração de um importante Adminstrador Delegado aí de uma importante Empresa de que uma importante empresa com um PIB superior ao de Portugal afinal faz isso tudo só com 360 mil trabalhadores...

...é obra..!!!!.não sabemos é se a importante empresa continua a fornecer os seus equipamentos quando os clientes perdem o crédito bancário....

1:53 PM  

Postar um comentário

<< Home