quarta-feira, fevereiro 07, 2018

INCONTESTÁVEL MENTIRA


Passos Coelho durante a sua governação não se cansava de afirmar que os portugueses “viviam acima das suas possibilidades e que teriam que empobrecer”.

E, concretizou nas suas políticas governativas esta sua convicção, de que o país só poderia desenvolver-se com o empobrecimento dos portugueses, congelando o salário mínimo e preparando-se para tornar definitivos os cortes nas pensões, reformas e salários da função pública. Era esta a sua visão de “desenvolvimento” para o país sair da crise que se viveu. Uma visão de desenvolvimento assente em baixos salários e cortes nas pensões e reformas, isto é, numa política assente em baixos rendimentos da população. 

 O novo governo de António Costa inverteu esta situação. Apostou precisamente no inverso, salário mínimo mais elevado e actualizado todos os anos, reposição de reformas, de pensões, aumento dos subsídios sociais e aumento de salários e diminuição de impostos sobre o trabalho.

Passos Coelho desdenhou desta nova política e, cego em suas crenças, chegou mesmo a afirmar que “se pudéssemos todos, sem dinheiro, devolver salários, pensões e impostos, e no fim as contas batessem todas certas passaria a defender o voto no PS, Bloco de Esquerda e PCP".

 Quando agora Marcelo Rebelo de Sousa anuncia que o governo de António Costa herdou um “trilho aberto” de ”inquestionável mérito” parece estar a querer refazer a história e “inquestionavelmente” a formular uma incontestável mentira.

Marcelo não deveria prestar-se a este tipo de mistificações e deixar-se arrastar pelo tortuoso caminho das inverdades políticas.

Todo o mérito da actual situação económica, orçamental e social pertencem unicamente ao governo do PS com o apoio parlamentar do PCP e BE e a mais ninguém porque foi capaz, contra ventos e marés, inverter as políticas da governação PSD/CDS. 

Seria bom que Marcelo escutasse bem as palavras de Dom Januário Torgal Ferreira.

 

 

 

1 Comments:

Blogger Rogerio G. V. Pereira said...

É curioso, a VISÃO escondeu o artigo
pelo que
ou Marcelo já leu
ou vai perder um comentário que se lhe ajusta
que nem uma luva

http://visao.sapo.pt/

6:33 PM  

Postar um comentário

<< Home